Pra não chorar

Pra não chorar

< >

Este samba tem um clima mais alegre que, entretanto, não destoa do caráter intimista de todo o disco, embora incorpore sopros e metais e contida percussão. A música engana em sua  aparente simplicidade, pois tem um trabalho técnico de elegante construção, que bebe na fonte de mestres como Moacyr Santos, com o sax barítono, grave e marcante  e Edu Lobo. Ouvidos atentos podem perceber uma citação explícita de Villa-Lobos, com a Bachianas nº 5, relida em ritmo de samba, se infiltrando e depois retornando à melodia, em um inesperado e sensível diálogo de estilos. A voz de Marcos Braccini dá a medida certa do ritmo sincopado e destaca a inspiração dos belos versos.

 

Pra Não Chorar
(Vítor Santana, Marcos Braccini, Hélder Quiroga, Murilo Antunes)

Vi cego enxergar
vi o pomar secar
folhas e tormentos
espalhados pelo chão

Vi o luar
iluminar a paz
que não vem nem manda
aviso prévio essa dor

Para não chorar
deixei o barco correr
vi a sorte ancorada
ela na calçada de um lugar
que nunca fui
só pra não chorar

 

Marcos Braccini          voz
Rafael Martini          arranjo, piano e violão
Léo Pires          bateria
Pedro Trigo Santana          baixo acústico
Edson Fernando          percussão
Vinícius Augustus          sax barítono
Pedro Aristides          trombone
Sérgio Danilo          sax alto
Alexandre Andrés          flauta